ArqStudio
Escritório
(Office)
Arquiteto Joel Campolina
( Joel Campolina Architect)
PORTFÓLIO
(PORTFOLIO)
Publicações
(Publications)
Notícias
(News)
Contato
(Contact)


Estação Pampulha BRT 


A- A+

A Estação de integração Pampulha, compreende dois níveis de plataformas embarque/desembarque e mais um nível  complementar: a plataforma lúdica multiuso. A área total  bruta construída será de aproximadamente 30.000m². Além do grande  fluxo veicular  já existente nos eixos viários arteriais , há de se considerar a  previsão da concentração de um  trânsito diário  em torno de 15 mil usuários nos horários de pico (manhã e tarde) . Isso  implica no aumento do fluxo de ônibus alimentadores e troncais, turísticos e de veiculos particulares . Justifica-se, consequentemente, a necessidade das  obras de transposição viária ,  como as novas alças e viadutos previstos para a área . O índice de ruido gerado pelo tráfego veicular e aéreo atuais  atinge medias diárias superiores a 65 decibeis (conforme medições  no local) , o que implica    cuidados adicionais, visando maior conforto acústico nos ambientes da nova edificação proposta. O projeto segue  modulação estrutural pensada para acomodar os diversos padrões de vãos definidos pelas necessidades funcionais de cada setor. Isso justifica a utilização de sistemas construtivos mistos (convencionais e industrializados). O objetivo é diminuir o tempo da obra e seu impacto ambiental. A estrutura desde as fundações até o nível da plataforma multiuso será em concreto (armado, protendido e/ou pré-fabricado de concreto) e a cobertura da maior parte da plataforma alimentadora , em estrutura metálica. Fatores como acessibilidade universal, conforto ambiental e eficiência energética foram determinantes na resolução espacial e na seleção de materiais de acabamento . 

Nada disso adiantou, fomos alijados das fases de detalhamento executivo e do acompanhamento da obra. Erros grosseiros comprometeram o resultado.  

Ironicamente, no texto da própria Lei federal que regulamentou o regime RDC integrado, parece que sempre existiram alternativas para minimizar a ocorrência de distorções absurdas.

No Art. 36 - §3º estabelece-se que: "É permitida a participação das pessoas físicas ou jurídicas de que tratam os incisos II e III do caput deste artigo (que se referem ao autor-responsável pelo anteprojeto/projeto básico de a78t 76 Arquitetura) em licitação ou na execução do contrato, como consultor ou técnico, nas funções de fiscalização, supervisão ou gerenciamento, exclusivamente a serviço do órgão ou entidade pública interessados".

No mínimo, se quisessem, gestores públicos poderiam formalizar a continuidade da contribuição do arquiteto autor da versão originalmente licitada, na supervisão de ajustes de maior ou menor complexidade no projeto executivo detalhado.

INFORMAÇOES COMPLETAS COPIAR e COLAR O LINK http://www.vitruvius.com.br/revistas/read/projetos/15.180/5856

< voltar / back


arqSTUDIO.br Arquitetos. Joel Campolina Associados Ltda
Telefax(+55 31)3335–1433
Rua São Paulo m 1966/ 7° andar - Lourdes - Cep 30170-132 - Belo Horizonte/MG